secretaria@cppc.org.br 21 99454.5961

TERAPIA SÓCIO COMUNITÁRIA DO CPPC/ SP

Artigos e Notícias

1 – Histórico da proposta

Há muitos anos vimos como Corpo de Psicólogos e Psiquiatras Cristãos e mais particularmente na Regional São Paulo, nos inquietando com a necessidade de gerarmos uma proposta de atendimentos em espaço de Clínica Socializada. Com essa proposta conseguimos que a maioria de nós, Psicólogos clínicos do CPPC/SP, dedicássemos alguns horários em nossos consultórios para realizarmos atendimentos com um valor de honorário simbólico, favorecendo assim uma pequena parte da grande quantidade de pessoas que nos demandavam acompanhamento psicológico, mas que não podiam pagar.

Ainda assim continuávamos com o coração apertado quanto aos que não eram cuidados e, sobretudo percebíamos que mesmo as pessoas que estavam em Psicoterapia individual, socializada ou não, respondiam com bastante demora, e às vezes nem respondiam, a uma mudança significativa na qualidade de seus relacionamentos interpessoais, inclusive nas suas comunidades religiosas de pertença.

Foi aí que resolvemos unir forças com os nossos Psicólogos que haviam se especializado em Terapias Comunitárias e terapias Grupais, inicialmente as psicólogas Fatima Fontes e Helena Tonioli e propusemos em nosso XIV Congresso Brasileiro do Corpo de Psicólogos e Psiquiatras Cristãos, realizado em 2005, em Campo Limpo Paulista, São Paulo a nossa 1ª Sessão aberta de Terapia Sócio-Comunitária. Esta sessão ocorreu com uma Comunidade de irmãos Pentecostais que habitavam no entorno do local do acampamento aonde realizamos o Congresso. O resultado nos impactou a todos: acompanhamos a força dos laços relacionais e de como podemos, de fato obter transformações psicológicas e sócio-relacionais ao utilizarmos esse Método de atendimento sócio-psicológico grupal.

Quatro anos se passaram e outra vez comprovamos entre nós e as comunidades que nos demandam auxílio, a eficácia desta proposta. Desta feita no XVI Congresso Brasileiro do Corpo de Psicólogos e Psiquiatras Cristãos, realizado em 2009, em Conservatória, Rio de Janeiro, e desta vez junto a uma comunidade Escolar da Cidade de Conservatória. Tivemos como Coordenador da atividade o psicólogo Carlos Teodoro, que havia participado pela 1ª vez dessa forma de trabalho, em Campo Limpo Paulista, como parte do público participante e agora já estava se especializando em Terapia Comunitária e com Fatima Fontes como co-terapeuta, confirmamos mais uma vez o poder transformador desta ferramenta de trabalho sócio-psicológica.

Em Conservatória também tivemos estudantes de Psicologia do Rio de Janeiro, que ficaram muito tocados com o trabalho e decidiram conhecer mais esse caminho de auxílio da Psicologia. Glórias ao Senhor que mais uma vez nos confirmou.

E finalmente, em reunião ocorrida durante a nossa IX Jornada do Corpo de Psicólogos e Psiquiatras Cristãos, Regional São Paulo, na Faculdade Teológica Batista de São Paulo, definimos um acordo entre a Clínica Socializada do CPPC SP e a Clínica Psicológica da Igreja Batista da Liberdade e contando com o aceite de participação de nossos grupoterapeutas de São Paulo: Fatima Fontes; Helena Tonioli; Andréa Korps Calderón e Rosângela Campos, configuramos nossa proposta de Terapia Sócio-Comunitária.

Passaremos a ter encontros mensais regulares durante todo o ano de 2010, com nossos Terapeutas fazendo Co-direções, no espaço para nós reservado pelo Ministério de Atendimento Psicológico da Igreja Batista da Liberdade, coordenado pela Psicóloga Alete Korte, membro do CPPC.

2 – A Proposta de Terapia Sócio-Comunitária

Esta proposta nasceu de nossas práticas de Psicologia com grupos: Psicodrama e Terapia Comunitária e se alicerça nos fundamentos teóricos e metodológicos destas duas propostas, que se propõem a oferecer uma ferramenta de ação terapêutica a grupos com o objetivo de ampliar a capacidade de percepção individual e interrelacional de seus participantes.
As sessões de Terapia Sócio-Comunitárias são sessões abertas a quaisquer membros da comunidade que desejem melhorar seus conflitos psicológicos e interrelacionais. Por se tratar de uma ferramenta sócio-psicológica não haverá impedimentos para a composição dos grupos com pessoas conhecidas, e ao contrário é estimulado que pessoas conhecidas e seus conflitos possam ser protagonistas destes encontros com o objetivo de melhoria dessas interrelações.
Essas sessões têm uma proposta de encontros únicos: elas são propostas para acontecerem e se encerrarem num único encontro, ainda que os membros dos grupos possam se tornar participantes constantes nos vários encontros do ano.
Reforçamos que não há sequencia, nem tematizações: cada reunião receberá os participantes daquele dia e conjuntamente será escolhida a situação protagônica e seus protagonistas.

3 – Sobre o funcionamento da proposta
Iniciamos as sessões em Março de 2010 e realizamos nesse ano 10 sessões.
Em 2011, já iniciamos nosso trabalho em 5 de fevereiro, e segue o calendário dos outros encontros do ano:

AGOSTO: 6/08
SETEMBRO: 10/09
OUTUBRO: 01/10
NOVEMBRO: 5/11
DEZEMBRO: 3/12

Fatima Fontes (Coordenação Geral) – fatima.fontes@uol.com.br
Andréa Korps Calderón – andreakorps@hotmail.com
Rosângela Campos – rosangelammcampos@yahoo.com.br

Copyright ©1976-2018 CPPC - Corpo de Psicólogos e Psiquiatras Cristãos
Todo o conteúdo deste site é de uso exclusivo da CPPC.
Proibida reprodução ou utilização a qualquer título, sob as penas da lei.